• Andrey Daher Coelho

[Review] Destroy All humans! Remake é Um Clássico da THQ que retorna no Nintendo Switch


O clássico cult está de volta! Aterrorize as pessoas da Terra dos anos 1950 na pele do alienígena maligno Crypto-137. Colete DNA e derrube o governo dos EUA nesse remake fiel da lendária invasão alienígena. Aniquile humanos insignificantes usando uma excêntrica seleção de armas e habilidades psíquicas alienígenas. Deixe as cidades em ruínas com o seu Disco Voador. Dê um grande pisão na humanidade!


- Seja o vilão de uma invasão alienígena dos anos 1950

- (Re)Descubra por que esse jogo é tido como um dos mais engraçados já criados

- Reconstruído do zero em sua nova glória galática

- Divirta-se com o arsenal de Crypto, como o Rifle de Sonda Anal

- Use a aparência de humanos patéticos para se infiltrar em sua frágil democracia

- Use telecinesia para despachar inimigos ou bombardeá-los com objetos aleatórios

- Use sua mochila a jato para explorar cidades dos EUA dos anos 1950

- Destrua a arquitetura humana medíocre com seu disco voador

- Inclui a restaurada, lendária, nunca vista: Missão Perdida da Área 42!

- Inclui o DLC de Pacote de Visuais!



Destroy All Humans! Remake é um jogo de mundo aberto no estilo sandbox onde os jogadores controlar um alienígena com "fome de cérebro" e louco para exterminar a humanidade. Não vou entrar em detalhes sobre o enredo pois minhas reviews não contam com spoilers, mas você precisa apenas saber que os alienígenas vieram para a Terra em busca de salvar a própria espécie e criar uma espécie de "império".


O jogo tem um foco enorme na parte humorística e isso é algo que dá um traço de identidade muito forte e única ao game. Referência a filmes da época como MIB: Homens de Preto e Marte Ataca são evidentes no jogo, o que dá um charme a mais e algumas boas risadas. Vale ressaltar que o jogo está legendado em português brasileiro.



Graficamente falando, Destroy All Humans! no Nintendo Switch tem um nítido "downgrade" se for comparado com as versões das plataformas atuais concorrentes. Grande parte da vegetação onde se tinha grama, foi retirada e a resolução também está abaixo de 1080p, o que é uma pena, principalmente na TV. No modo portátil o jogo parece se encaixar melhor e me arrisco a dizer que o jogo ficou melhor no modo portátil, talvez essa tenha sido a filosofia da empresa ao portar o jogo. Durante o gameplay a taxa de quadros é estável nos 30fps e a grande diferença gráfica só é notada mesmo durante as cenas de história, que muita das vezes acaba tendo problemas no carregamento das texturas dos npcs e do cenário. Graças a Deus isso não ocorre durante o gameplay.



E por falar em gameplay, é aqui que Destroy All Humans! Remake brilha! O jogo é muito divertido e conta com um sistema de progressão muito interessante. O seu personagem começa de forma bem fraca mas com o passar das missões você vai ganhando pontuações pra dar upgrade em habilidades do personagem e dá espaçonave. E sim, é possível pilotar a nave em diversas missões, aqui o foco é literalmente destruir os humanos, abduzir, retirar seus cérebros e criar o caos.



Veredito

Destroy All Humans! Remake é um jogo muito divertido e sem sombra de dúvidas é um clássico cult dos games. Seus gráficos na versão do Nintendo Switch infelizmente são abaixo das versões dos consoles rivais, mas sua jogabilidade e taxa de quadros se mantiveram estáveis para que os jogadores tenham uma experiência a nível dos outros consoles. Seu humor, suas mecânicas e sua progressão, são fatores que fazem desse jogo algo muito divertido e que irá proporcionar muitas risadas e diversão, apesar do fator gráfico. O jogo conta com legendas e menus em português, o que é algo muito positivo e se você tem um Nintendo Switch e procura por uma experiência diferente mas divertida, essa pode ser uma boa opção, principalmente se você joga mais o console no modo portátil.

Nota: 7,5/10