top of page
  • Foto do escritorAndrey Daher Coelho

[Análise/Review] Need for Speed Unbound é a Ressurreição da Série


Corra contra o tempo, despiste a polícia e encare as classificatórias semanais para chegar ao Grand, o desafio de corrida de rua definitivo de Lakeshore. Encha sua garagem de carros personalizados, tunados com precisão e ganhe as ruas com seu estilo, seus ajustes exclusivos e uma trilha sonora global vibrante que ressoa com todos os cantos do mundo.


O grafite ganha vida com um novo e exclusivo estilo que mistura elementos da arte urbana com os carros mais realistas da história do Need for Speed. Acesse um novo kit de ferramentas de efeitos visuais e sonoros para expressar habilidades de pilotagem, incluindo a Rajada de Nitro, uma nova tática de boost que oferece uma aceleração vertiginosa.



Para chegar ao topo, você precisa se arriscar. Escolha como e quando colocar tudo em jogo, fazendo drifts, escapando da polícia ou realizando apostas paralelas contra rivais. Tempo é dinheiro. Por isso, encontre a maneira mais rápida de ganhar o suficiente para entrar nas eliminatórias semanais e chegar à maior corrida de Lakeshore, o Grand.


Need for Speed Unbound é a entrada mais recente da série e que de certa forma trouxe uma mistura de novidades com nostalgia para os jogadores. O game parece ser uma mistura de Most Wanted com Carbon e NFS Underground. Isso por sí só já é algo para se chamar a atenção dos fãs mais antigos, mas o jogo vai além e traz sua prória personalidade.


Visualmente falando, NFS Unbound é um jogo líndo gráficamente e artisticamente também, pois o game conta com efeitos especiais em "cell shading", para dar aquele toque mais cartoon dentro do jogo, assim como por exemplo na animação de spiderman no aranhaverso. Os personagens são cheios de personalidade e todos feitos em forma de desenho com o efeito de "cell shading", o que dá um charme enorme ao jogo, pois misture isso com os gráficos mais lindos que alguém já produziu em um jogo de corrida e principalmente em um jogo da série NFS. O game roda a 60 fps em todos os consoles da nova geração e utilizando ray tracing tanto nos reflexos como na iluminação global, é realmente de tirar o fôlego.



Eu admito que um dos grandes motivos que me fez pegar um Xbox Series S no final desse ano, foi o fato de ter assistido algumas "gameplays" desse NFS rodando no Xbox. A EA soube bem como utilizar as novas ferramentes e tirar proveito do poder dos novos consoles, na versão do Series S o game roda a 60 fps com resolução de 2k e upscale para 4k e já no Series X e PS5 rodam a 60fps com 4k de resolução, e todos utilizando HDR para deixar as cores das imagens ainda mais realistas.


Uma das coisas que os jogadores terão que se acostumar é com a nova mecânica de turbo do game. As corridas ficaram bem mais difíceis e com muita adrenalina, uma vez que agora você alem de usar drift para ganhar nitro, você também terá que utilizar muito uma mecâninca de "vacuo" para ganhar velocidade contra os outros corredores. Caso o jogador sinta que o game está sendo um tanto desafiador, não tem problema, existe a opção de diminuir ou aumentar a dificuldade, então isso se torna critério pessoal de cada um.



O game conta com um mundo aberto para explorar igual em "most wanted", durante o dia inclusive lembra muito, mas o game não para por ai e ainda adiciona um clima dinâmico lindíssimo. Toda vez que o jogador entrar em sua garagem, o tempo irá avançar para noite ou dia, as corridas noturnas e diurnas se diferem não apenas no visual, mas nos prêmios e nas localidades. O game ainda apresenta um sistema de dias em que a cada dia da semana existem corridas específicas, então se vc for mt mal em algum dia, você só poderá tentar aquela mesma corrida novamente na outra semana caso seus créditos de aposta acabem.


E por falar em aposta, agora você consegue ver seus diversos rivais antes das partidas, seus carros, de onde vem, e ainda pode apostar uma grana contra um deles para fazer um dinheiro extra caso ganhe a corrida, algo muito legal e que adiciona novidade a série. O game também conta com personalização visual, e uma personalização muito boa que as vezes me lembra até a personalização do NFS Pro Street. O game vai além e ainda deixa você escolher como será o ruido do motor do carro, o som do cano de descarga e até mesmo os efeitos especiais que vão sair do carro quando o jogador fizer certas manobras ou saltos e turbos. Um dos pontos fortes do jogo realmente é a questão da personalização dos carros e dos personagens que também podem ser alterados agora.



A parte sonora do jogo também não deixa a desejar, os sons dos carros estão muito bons e contam com as novas tecnologias da nova geração. A trilha sonora também é de certa forma interessante, apesar de eu achar que faltou colocar uma trilha sonora com rock n roll. O game não vem dublado em português, mas ele estã totalmente legendado e com menus traduzidos, então a galera que não entende muito do idioma americano, pode ficar tranquila que vai conseguir navegar nos menus e entender a história do jogo.


O game também conta com multiplayer online para os interessados, mas não tive ainda a oportunidade de jogar online, então essa análise é mais para o modo offline.



Veredito

Need for Speed Unbound é o melhor jogo da série em muito tempo. Desde NFS The Run que eu não gostava tanto de um jogo da série e isso é muito bom. Parece que Unbound está trazendo o jogo para um renascimento, uma ressurreição e apontando para o caminho que a série deve seguir, logicamente sempre buscanto melhorias e novos elementos de criatividade, mas sem nunca abandonar o passado que fez de NFS um dos maiores jogos de corrida de todos os tempos. Os visuais estão lindíssimos e justificam o jogo ter sido lançado apenas para a nova geração, os efeitos em cell shading deram um charme e uma personalidade única ao jogo (mas o jogador que não gostar pode desativar nos menus). Em outras palavras, se você é fã de jogos de corrida de carros arcade, não pode deixar de jogar NFS Unbound, coloque ele na sua lista e não irá se arrepender, é um dos melhores jogos de corrida da geração.

Nota: 9/10


Comments


bottom of page