top of page
  • Foto do escritorAndrey Daher Coelho

[Review/Análise] Tales of Symphonia Remastered traz de volta o melhor game da série para Switch

Retorne ao mundo de Sylvarant em uma remasterização fiel e com diversas melhorias gráficas e de jogabilidade



A Bandai Namco Entertainment America Inc anunciou o lançamento oficial de TALES OF SYMPHONIA™ REMASTERED, versão aprimorada do clássico JRPG de ação.


O jogo já está disponível para PlayStation 4 (e compatibilidade com PlayStation®5), Xbox One (e compatibilidade com Xbox Series X|S) e Nintendo Switch. Hoje vamos falar especificamente da versão de Nintendo Switch que recebemos para análise.


Em TALES OF SYMPHONIA REMASTERED, os jogadores seguirão as aventuras de Lloyd Irving e seus amigos enquanto embarcam em uma aventura pelo mundo recheada de personagens inesquecíveis e uma história emocionante. O jogo se passa no mundo de Sylvarant, uma terra moribunda que precisa desesperadamente de uma fonte constante de mana, e a lenda diz que um Escolhido aparecerá para restaurar o mundo.


Além de impressionantes cenas de anime e cativantes personagens utilizando a tecnologia Cel shading projetados pelo renomado artista Kosuke Fujishima, os jogadores podem se juntar a até três amigos adicionais no modo cooperativo local para lutar contra oponentes poderosos com centenas de ataques e combinações mágicas em batalhas em tempo real. Os fãs de Tales of e JRPG também podem esperar uma experiência “fiel ao original” com aprimoramentos gráficos e melhorias na jogabilidade.



Tales of Symphonia saiu exclusivamente no ocidente para Nintendo Gamecube anos atrás e conquistou o coração de muitos jogadores inclusive o meu. Sua arte em cel shading era simplesmente linda, principalmente para os padrões do início dos anos 2000 e para minha surpresa, a sua arte ainda sobreviveu ao teste do tempo e continua linda ainda hoje em 2023.



Um dos detalhes que precisamos abordar nessa análise é que infelizmente a versão utilizada pela Bandai para ser remasterizada, não é a versão do Gamecube mas sim a versão japonesa de PlaysStation 2. O que tem algumas diferenças, como a música que toca na abertura do game e o fato de a versão de PS2 rodar a apenas 30 fps, enquanto a do Gamecube rodava a 60, então saibam que todas as versões remasterizadas de todos os consoles atuais, estão rodando a 30 fps. Mas isso atrapalha o game? Não, o jogo continua excelente mesmo com uma taxa de quadros inferior, só é uma oportunidade perdida de ter colocado em 60 fps na remasterização caso a remasterizaçãos fosse encima da versão de Gamecube.



Visualmente falando o jogo ficou lindo com o trato que recebeu em HD, o game esta a 1080p na TV no Nintendo Switch e a 720p no modo portátil, o que deixa a imagem muito mais nitida e cristalina, com os menus e textos bem limpos.


Mas nem tudo são rosas amigos, e precisamos mostrar alguns pontos que precisam ser melhorados com atualização mas que até o momento dessa review ainda não foram. O jogo conta com varias quedas de quadro em determinados locais, o que é uma pena, pois a únicaversãoque esta sofrendo com isso no momento é a do Switch.



Outros detalhes que precisam melhorar no Switch, é o fato da animação de entrada das batalhas, com os vídros quebrando na tela, eles simplesmente retiraram da versão do Switch e substituiram por uma tela totalmente branca, além do menu menu de opções do jogo ficar com fundo fosco ao invés da cena do game pausado de fundo e relatos do jogos fechando sozinho em algums momentos aleatórios. São detalhes simples e que são possíveis de se resolver para deixar a experiência ainda melhor e mais fiel no Switch.



A trilha sonora do jogo continua perfeita, o game também te da opção de jogar com áudio em japonês se preferir. O jogo infelizmente não conta com legendas em português, o que já era algo esperado de um RPG japonês. Mas sua trilha sonora é sublime e da vida cada momento e local no mapa que você visitar, e particularmente, eu gosto muito da dublagem em inglês também. Um ponto forte é a abertura musical cantada, muito linda assim como as cenas que também aparecem durante o jogo.


Veredito

Tales of Symphonia Remastered é uma mistura de emoções, o game em sí é espetacular! A história, os personagens cativantes, a moral que o enredo te passa, a mecânica de batalha super divertida em tempo real, a possibilidade de jogar o game coop com 4 pessoas localmente, o fator replay do jogo com "new game plus", deixando os apaixonados zerando com cada um dos personagens da equipe se assim desejar, tudo isso é maravilhoso. O update gráfico para as TVs modernas e um modo portátil lindíssimo, que nos dá a possibilidade de jogar ou rejogar esse grande clássico em aparelhos modernos, contribuem para que eu louve essa versão. Mas seus pontos fracos precisam ser reparados e corrigidos no Nintendo Switch. Tenho 2 pontos de vista para essa análise, a primeira é sobre o jogo em sí, ele é espetacular, um dos melhores RPGs que já joguei, sem dúvidas merece nota máxima, mas o segundo ponto de vista é a nota para o Remaster, que até o momento dessa review, deixa a desejar em alguns pontos e por conta disso vai influenciar na minha nota final até o momento. Tales of Symphonia é um dos melhores RPGs já feitos e o meu jogo favorito da série, mas só posso recomendar para você nesse momento, se você não se importar com esses detalhes da versão de Switch. Caso isso não seja empecilho, pode se preparar para uma jornada incrível.

Nota: 8/10




Comentarios


bottom of page