• Andrey Daher Coelho

[Review]Deadly Premonition 2 - Um clássico cult no Nintendo Switch


No ano de 2005, o agente do FBI York visita Le Carré, uma pequena cidade em Nova Orleans, onde encontra um misterioso caso de assassinato em série ao lado de seu "amigo" Zach.


Produzido pela equipe original e pelo criador da série, Swery65. A história se passa em uma pequena cidade de Nova Orleans, criada com base em pesquisas e entrevistas, e trás aos jogadores tudo aquilo que fez de Deadly Premonition um jogo extremamente único, e quando eu digo que tudo aquilo está no pacote, eu me refiro literalmente, vamos entender mais.


Deadly Premonition 2: A Blessing Disguise é uma sequência de Deadly Premonition Origins

que ocorre na atual Boston. Através de uma narrativa única, aventure-se no tempo em Le Carré e descubra os mistérios enterrados na cidade outrora pacífica. Servindo como prólogo e epílogo de Deadly Premonition origins, siga os agentes Davis e Jones quando eles iniciam uma nova investigação sobre os assassinatos em série de Le Carré. Com as lembranças de um ex-agente do FBI, volte no tempo para Le Carré e entre no papel do Agente Especial York para começar a desvendar o mistério.


  • Retorne como Agente Especial do FBI York e experimente um novo mistério de assassinato!

  • Um prólogo e uma sequência: uma investigação histórica para descobrir o mistério do assassinato em Le Carré

  • Uma aventura sem fim: viaje pela cidade de Le Carré a pé ou de skate

  • Mini-jogos: Boliche, Passeio pela Baía, Desafio de Skate e muito mais

  • Personalização: personalize seu personagem e atualize seu skate para melhorar a velocidade e conseguir truques mais difíceis



Deadly Premonition 2 mantém o aspécto de liberdade do jogador para explorar a cidade. Cada NPC tem uma rotina própra, parecido com o que vimos lá atrás em Shenmue, então determinadas quests vão exigir que o jogador encontre um npc em um horário determinado em um local determinado e em um dia da semana determinado, é algo que faz parte da imersão do jogo e ele realmente faz isso muito bem.



Deadly Premonition 2 conta com uma arte bem mais colorida do que a do primeiro jogo da série, até por que o local onde se passa a trama exige isso, mas não se engane quanto ao conteúdo, ele continua igualmente forte e sua história é contada de maneira extremamente única.


Os diálogos do jogo são muito bem dublados em sua maioria, e por falar neles, é realmente incrível a quantidade de sitações de filmes, atores, diretores e séries que esse jogo faz, é realmente um presente magnífico para quem ama flmes cult e clássicos do cinema. Minha primeira surpresa foi já de cara quando os personagens comentam sobre o filme Stallone Cobra, um do filmes que eu mais me diverti vendo com amigos, foram muitas risadas pois era um "pastelão de filmes de ação" e que nós amamos.



O jogador pode esperar por sitações a Star Wars, Uma Odisséia no Espaço e a 007 Live and let Die( Viva e deixe Morrer), que inclusíve serviu de inspiração para a abertura musical do game que é tão fantástica quanto uma abertura de filmes do James Bond, assim como a música tema criada pro jgo que simplesmente entrou na minha playlist e figuraria facilmente como uma musica dos filmes de James Bond, sem falar claro em um dos personagens mais emblemáticos do jogo, que é claramente inspirado no vilão de 007 Live and Let Die, o Baron Samedi.( Ok Zach, acho que nós já explicamos bastante sobre as referências e sitações de filmes no jogo e como isso nos conquistou).


Francis York Morgan, continua conversando com seu amigo Zach nesse jogo, e isso de certa forma é algo brilhante por que ao falar com Zach, é como se o protagonista estivesse falando com o jogador. O game também conta com cíclos de dia e noite como no anterior, além de diversas atividades como eu mostrei mais acima no texto.



Como vocês sabem, minhas reviews não tem spoilers, então ao falar da história dojogo, eu posso dizer que ela é surpreendente, no bom sentido. Talvez seja a melhor história contada que eu ja vi em um game por muitos anos, sem exagero. Tudo é muito bem narrado para o jogador, tudo faz sentido e te coloca no caso de uma forma única, poucos jogos ou talvez nenhum outro jogo, tenha a magía que o diretor Swery 65 conseguiu colocar nessa franquia.


O jogo não conta com legendas em português infelizmente, então é fundamental que o jogador tenha um bom ingês para jogar, ou então esse jogo realmente não vai servir para você. Cada personagem no jogo tem traços de personalidade extremamente únicos e você consegue distingui-los facilmente, é quase uma poesia o mundo que o game cria.



Sem falar nas mensagens que o jogo passa, sobre o perfil do ser humano, tendo em consideração que o protagonista do jogo é uma pessoa que parece sofrer de distubios psicológicos de personalidade, e ao mesmo tempo ser um gênio da psicanálise, sem falar com sua semelhança com John Constantine, que foi algo que eu percebi imediatamente.



O jogo trás muito sobre a diferença entre cada um de nós seres humanos, e como cada um de nós lida com uma situação diferente. Medos, anseios, sonhos, tudo isso é abordado de uma forma muito única no jogo, assim como a valorização de coisas que parecem simples no nosso dia a dia, como por exemplo expermentar um prato de comida novo, ou tomar uma bebida que antes você não conhecia.



E por falar em alimentos, o jogo conta com uma barra de fome do jogador, assim como uma barra de estamina e barra de vida. O personagem tem necessidades de tomar banho, assim como de fazer a barba caso o jogador queira, pois com o passar dos dias a barba vai crescendo e por falta de banho o jogador fica fedendo e começa a ser penalizado por causar transtornos para as outras pessoas. As roupas do personagem também ficam sujas e precisam ser limpas no hotel onde você fica, além de melhorias no skate e na sua arma.


Como podem ver, existe realmente uma grande riqueza de detalhes no jogo, e cada um desses detalhes que parecem pequenos, tornam o jogo uma experiência extremamente rica e únicamente imersiva. Estamos falando de culinárias diferentes em lugares diferentes da cidade. É um jogo para pessoas que gostam de história, investigação policial, paranormalidade e que tenham paciencias para diversos diálogos, que a propósito são muito interessantes por serem dublados.(Pode não ser um jogo para todo mundo, justamente por isso)



Ufa, devo admitir que está sendo um pouco desafiador fazer essa review Zach, mas ao mesmo tempo é algo que me deixa muito feliz, pois eu tive contato com um jogo tão rico como esse. Mas você sabe quem nem tudo são rosas Zach, então vamos falar um pouco sobre os problemas que geraram algumas críticas para o jogo.


Deadly Premonition quando foi lançado no xbox 360, tinha um sério problema na sua taxa de quadros por segundo, ou o s seus fps. E foi um jogo que dividiu os review, ou era 8 ou 80, ou você amava o jogo ou você detestava o jogo. Não é diferente com Deadly Premonition 2 Zach, pois muitos sites e canais massacraram o jogo pelo fato de sua taxa de quadros por segundo ser extremamente baixa nos ambientes de mundo aberto, e isso é algo que deve ser mencionado aqui nessa review. O primeiro patch de correção foi lançado hoje, e deu uma boa melhorada, e mais outros estão sendo feitos e chegarão em breve, o que é algo muito bom.



Mas até que ponto a taxa de quadros baixa no mundo aberto é suficiente para transformar uma obra tão grandiosa como a que eu falei acima em um jogo ruim Zach? Bom, esse jogo levantou essa questão de uma forma como eu não tinha visto antes, pois alguns sites como o destructoid deram notas altas para o jogo, assim como outros sites deram notas extremamente baixas justamente pela queda de frames no mundo aberto.



Veredito
Deadly premonition 2 : A Blessing Disguise é um jogo que mudou minha visão sobre o mundo dos games, posso dizer que ele foi um separador de águas Zach. Um game que tem uma direção de arte linda visualmente, mas que tem sérios problemas de desempenho em ambientes abertos, mas que mesmo assim me trouxeuma experiência tão única e imersiva, que eu não consegui parar de jogar e fui me tornando cada vez mais apaixonado pelo conteúdo e pelos personagens, assim como nas sitações de filmes e na luz do que definitivamente me dizia que eu estava na Deep South. Um jogo que está nos mostrando que o jeito em que a maior parte da indústria analísa um jogo é na verdade errôneo. Até que ponto uma taxa de frames por segundo baixa, é o suficiente para estragar uma obra tão rica? Esse é um dos jogos que me mostra que os video games são a maior, a melhor e mais rica das mídias artísticas que temos hoje em dia, onde ele consegue unir o cinema, o teatro, a arte em geral e a música, um dos pontos principais. Tudo parece tão único e feito com coração, que é inevitável se questionar, até que ponto devemos penalizar um jogo bom por uma taxa de quadros baixa ou por uma resolução abaixo do esperado. Zach, eu acho que essa história é uma das mais fascinantes que já vi, em pleno 2020, nós temos a chance de conhecer essa obra cada vez mais interessante e única, em um console híbrido e de qualidades realmente únicas, um casal perfeito e que me fez comprar Deadly premonition Origins. Posso dizer que depois de tudo, eu me tornei um grande fã Zach, ame ou odeie, é assim a vida, é assim com Deadly Premonition, e eu me sinto feliz por conseguir analisar uma obra de arte, não apenas por seus pixels e desempenho de fps, mas sim pelo conjunto da obra. Um verdadeiro clássico cult, que está no Nintendo Switch, posso dizer que mudou minha visão sobre o mundo dos games mais uma vez.

Nota: 10/10

Agradecimento especial para a Rising Star Games por ter nos enviado o jogo para Review.


  • Página do Facebook
  • Twitter - The Games
  • Canal The Games - Nintendo
  • Instagram

    Gostou da leitura? Doe agora e me ajude a proporcionar notícias e análises aos meus leitores  

© Criado por Andrey Daher Coelho.