• Andrey Daher Coelho

[Review]Panzer Paladin - Um índie com pegada de um clássico retro


Entre na armadura do Paladino, pegue as armas corpo-a-corpo dos invasores demoníacos e dê a eles um gostinho de seu próprio remédio!


O sinistro Ravenous e suas legiões de demônios brutais estão prontos para a batalha. A situação é terrível, mas a humanidade tem um ás final na manga: o Paladino Panzer! Cabe a um andróide de resgate chamado Flame, pilotar o Paladino e rastrear todos os diabólicos Guardiões de Armas. O confronto entre as forças do ocultismo e o poder da tecnologia de ponta já começou! Pegue as armas dos invasores demoníacos e use sua habilidade com a espada para golpear e abrir caminho através de 17 níveis alucinantes! Pule no seu Paladino e pegue as armas!



Panzer Paladin tem um clma muito especial já de cara no jogo. Algo que te remete a uma época em que jogos como Megaman, Metroid e Castlevania, faziam parte de tudo aquilo de melhor que a indústria tinha para oferecer.


E por falar em Megaman, é nótavel a semelhança no esqueleto do jogo, não em suas mecânicas, pois o game usa apenas combates físicos e não o uso de "armas de fogo", como em Megaman, mas no seu esqueleto.


Ao passar do primeiro nível, o jogador entra em uma espécie de mapa mundi, onde ele pode escolher qual a próxima fase jogar, e em cada fase tem um vilão detentor de uma arma específica, que ao ser derrotado, passa a fazer parte do personagem, isso realmente é muito Megaman!



O game também conta com upgrades no seu robô paladino, fica a critério do jogador o jeito como irá usar os pontos ganhos para melhorar o robô. O game também tem partes que lembram muito o clássico Blaster Master, pois o jogador pode sair do seu robô e usar o personagem humanoide para entrar em lugares menores e conseguir ítens secretos escondidos pela fase.


Ao sair do robô você fica mais vulnerável, mas não menos poderoso, pois conta com um poderoso chicote de média/longa distância para atacar os inimigos e até mesmo para chegar em determinados locais da fasa ao melhor estilo Indiana Jones.


Visualmente o jogo é lindo, totalmente feito em "pixel art" no melhor estilo 8 bits, e realmente faz ele ter todo aquele clima de nostalgia e perfeição que só quem jogou na época sabe! Além é claro, de uma trilha sonora incrível, sério, a musica desse jogo é fantástica, vale apena ficar escutando ela, é empolgante! O game também conta com algumas cenas em CG 8bits, algo que lembra um pouco de Ninja Gaiden, realmente muito caprichado.



Veredito

Devo admitir que esse é um dos reviews que eu mais estou me divertindo em fazer, pois é um jogo muito gostoso de se jogar. Talvez a nostalgia de ter vivido uma época mágica dos jogos no início da década de 90 tenha também tido efeito encima disso. Mas o fato é, que esse jogo é um trabalho muito bem feito, onde você consegue perceber que foram pessoas apaixonadas por games que se envolveram no projeto. Pode parecer simples para muitos jogadores que estão acostumados apenas com os "super gráficos realistas" da geração atual, mas o que não muda é o fato de que Panzer Paladins é um game super divertido e gostoso de se jogar. Uma trilha sonora maravilhosa acompanha as fases muito bem feitas, com seu level design simplesmente muito bem planejado, faz com que cada local seja único do seu próprio jeito. Um jogo com um preço de 20 dólares e que realmente vai te proporcionar muita diversão se for um fã dos estilos jogos que falei acima. O que o torna mais perfeito junto ao sistema híbrido do Switch, que é realmente maravilhoso poder jogar onde quiser. A nostalgia faz de Panzer Paladins um verdadeiro clássico retro em pleno 2020.

Nota: 8,5
  • Página do Facebook
  • Twitter - The Games
  • Canal The Games - Nintendo
  • Instagram

    Gostou da leitura? Doe agora e me ajude a proporcionar notícias e análises aos meus leitores  

© Criado por Andrey Daher Coelho.