• Andrey Daher Coelho

[Review/Análise] Blacksad:Under the Skin para Nintendo Switch


Blacksad:Under the Skin é um game de investigação criminal baseado na revista em quadrinho francesa com o mesmo nome(Blacksad). O jogo já está disponível à algum tempo no Nintendo Switch e hoje vamos falar um pouco sobre essa versão em especial.

Um escuro escândalo de corrupção no coração do submundo da cidade de Nova York para o carismático detetive John Blacksad.

Os anos 50, Nova York: Joe Dunn, dono de um clube de boxe, é encontrado morto.

Enquanto isso, o ator em ascensão Bobby Yale, que deve entrar no ringue para a luta mais importante de sua carreira, desapareceu misteriosamente.

Sonia Dunn, filha de Joe, assume a academia e deve lidar com seus problemas financeiros. Ela contrata o detetive particular John Blacksad para investigar o desaparecimento de Yale. Esse caso sinistro levará nosso investigador às profundezas mais obscuras e sombrias de Nova York.

Com seus personagens antropomórficos e sua incrível sensação dos anos 50, BLACKSAD: Under the Skin promete toda a assustadora aventura sombria de um romance policial, assim como a série homônima de quadrinhos.

Conduza a investigação à sua maneira. Faça uso de seus sentidos felinos enquanto procura novas pistas. Tomar decisões em nome de Blacksad e influenciar o resultado do caso.

GAMEPLAY

O gameplay do jogo é o melhor de 2 mundos. Mistura point and click com os jogos da telltale. Você controla o personagem livremente com o analógico, e interage com os cenários em busca de segredos. Algumas partes do jogo também contam com "quick time events", onde o jogador terá que apartar rapidamente um determinado botão que aparecerá na tela. Além disso, não se tem muito mais o que comentar sobre o gameplay, é o estilo do jogo, que é focado justamente nas investigações. Também é possível usar o sentido felino de Blacksad, e ligar os fatos de sua investigação até chegar a um veredito.

SOM

A trilha sonora do jogo é muito bacana, ela dá todo aquele clima de década de 50 ao game, com músicas que usam muito o saxofone. Os diálogos também são muito bem dublados em inglês. O game não conta com legendas em português. Porém, sua qualidade de áudio é muito interessante.

GRÁFICOS

Os gráficos da versão do Nintendo Switch deixam a desejar. Texturas que demoram para carregar, e algumas vezes em qualidade muito abaixo, quedas constantes de quadros por segundo também é outro fator negativo. Não atrapalha o jogo em sí, pois é um game de pegada lenta, por ser de investigação, mas realmente é notável quando ocorrem as quedas. A arte do jogo em si é bela, mas a versão de Nintendo Switch fica bem atrás das outras justamente por esses problemas abordados. É comum o jogo fechar algumas vezes também, um ponto muito negativo.

VEREDITO

Blacksad: UNder the Skin é um game muito legal de investigação, com personagens muito interessantes e que aborda bem a história. A trama do jogo vai ficando cada vez mais legal conforme se avança na história. Infelizmente a parte gráfica e de performance deixam muito a desejar, e eu não poderia deixar de falar isso. O jogador que quer comprar a versão do Nintendo Switch, precisa saber que ela possui até o momento dessa análise, diversos problemas gráficos e de performance, fazendo com que o até mesmo o jogo se feche sozinho as vezes. Minha nota pro game com toda certeza seria maior se eu estivesse analisando em outra plataforma que não sofre com os problemas que a versão do Switch encontra, o que é uma pena, pois parece que algumas empresas não conseguem entregar certos jogos com a qualidade que desejamos. Fora isso, o game é muito legal e conta com um enredo muito bacana, personagens carismáticos e ótimas alternativas de resolução dos eventos. Minha nota de recomendação para o jogo no Nintendo Switch é 6,5. Seria maior caso os problemas fossem solucionados.

#NintendoSwtich #BlacksadUndertheSkin #Review #Análise #Microids

  • Página do Facebook
  • Twitter - The Games
  • Canal The Games - Nintendo
  • Instagram

    Gostou da leitura? Doe agora e me ajude a proporcionar notícias e análises aos meus leitores  

© Criado por Andrey Daher Coelho.